Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 18 de maio de 2010

Casamento: Céu ou inferno?


Infelizmente, muitos casais entram nesse relacionamento, considerado um dos mais íntimos que existe, com pouca, ou mesmo nenhuma idéia de como ele foi idealizado a fim de que funcionasse. Eu me casei somente para me ver livre de minha família, ter uma casa que fosse realmente minha e ser independente. Admitiu uma jovem chamada Jane.

Meus pais tentaram tirar tal idéia da minha cabeça, mas, sabe como é... a gente sempre acha que sabe mais do que os outros. Jane pensou que agindo daquela forma, estaria rompendo com seus pais. Na realidade, seu casamento aconteceu de forma de provar que estava certa. Mas, ela falhou em desenvolver laços profundos com o marido. Após seis meses de casada, eu já havia descoberto que tudo havia sido um erro. Mesmo antes que meu bebê nascesse, disse ela. Pouco tempo depois, seu casamento dissolveu-se.

Os nomes mudam, as circunstâncias variam, mas a tragédia é a mesma. Tendo em vista o número total dos novos casamentos que estarão sendo realizados nos Estados Unidos, sabe-se que por volta de metade deles, eventualmente, terminarão em divórcio. Por que? Um líder Cristão afirmou: Todos os aconselhamentos que faço na área familiar e conjugal, têm suas causas em um dos três problemas abaixo:

Falha no deixar os pais.
Falha no entrosar-se com o cônjuge.
Falha no desenvolver um relacionamento de unidade entre o casal.

Deixar. Entrosar. Desenvolver Unidade. O profeta Moisés, o Senhor Jesus Cristo e o apóstolo Paulo, todos eles utilizaram esses conceitos para descrever o plano de Deus para um casamento bem-sucedido. O casamento implica em deixarmos nossos pais e nos unirmos ao nosso cônjuge, formando assim uma unidade exclusiva entre um homem e sua esposa.

Primeiramente, a Bíblia ensina-nos que o casamento é uma íntima comunhão. "Por isso deixa o homem pai e mãe, e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne" (Gn 2.24).

Casamento implica em deixar pais e unir-se a seu cônjuge, resultando em uma união totalmente nova e íntima, a qual deve perdurar durante toda a vida.

A unidade no casamento deve existir em vários níveis. Inicia-se no plano espiritual: um casal é unido pelo amor que nutre por Cristo e um pelo outro. O que também propicia uma união em termos intelectuais, volitivos, emocionais, sociais e físicos.

Em segundo lugar, a Bíblia ensina que o casamento cristão é uma união exclusiva, pura, imaculada. Marido e esposa são, não mais dois, mas um. Ninguém mais poderá desfrutar de tal relacionamento da maneira como eles o partilham. A Bíblia afirma: "Portanto, o que Deus ajuntou, não o separe o homem" (Mc 10.9).

O casamento, aos olhos de Deus, representa um passo muito importante. É a união de toda uma vida - corpo, alma e espírito - à outra pessoa. Tal comprometimento exclui todo e qualquer envolvimento de "terceiros". A Bíblia deixa bem claro ao afirmar: "Não adulterarás" (Ex. 20.14)

O casamento, do ponto de vida de Deus, é absolutamente exclusivo, uma vez casado, sua afeição pertence a seu cônjuge. Não há lugar para imoralidade sexual, jogos ou flertes com outros. Por quê? Porque tais atitudes destroem a tudo quanto o casamento se propõe e significa. Em terceiro lugar, a Bíblia também ensina que o casamento é uma união simbólica, uma linda metáfora de Cristo e a igreja. Da mesma forma que o marido e sua mulher são uma só carne, assim também Jesus Cristo é um espírito com sua igreja. A mulher deve relacionar-se com seu marido, como a igreja com Cristo. Devo amar minha esposa da mesma forma que Cristo amou sua igreja. Tal simbolismo eleva o casamento à sua mais alta dimensão.

O casamento cristão é realmente um triângulo: o homem, a mulher e Cristo. Minha esposa, Pat, entregou sua vida a Jesus quando tinha oito anos de idade. Eu tinha doze anos quando fiz a mesma decisão. Unimos nossas vidas na presença do Senhor. Ele é a terceira pessoa de nosso casamento e quem nos mantém juntos, levando-nos cada vez mais próximos um do outro à medida que nos aproximamos mais dele. Deus também fará o mesmo por você!

Revista Lar Cristão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário